< voltar para o Blog

Por que os planos de contas gerencial e contábil precisam estar alinhados?

Dados fidedignos revelam uma empresa organizada e bem estruturada. Sua empresa busca captar recursos? Saiba que informações divergentes nos planos de contas gerencial e contábil podem ser desfavoráveis. 

Confira a seguir as principais diferenças entre o plano de contas gerencial e o plano de contas contábil e porquê devem estar espelhados para melhorar o cenário da empresa perante clientes externos.

Plano de Contas Gerencial

No mundo dos negócios, a análise e planejamento estratégico do negócio pode ser facilitada pelo plano de contas gerencial. A saúde financeira da empresa também é melhor compreendida e acompanhada quando a gestão financeira é feita por meio de categorização e organização de receitas, despesas e custos.

Um plano de contas gerencial, ao contrário do utilizado pela contabilidade, é menos complexo. Não são incluídos, por exemplo, itens de balanço patrimonial. O plano de contas gerencial vai focar na rotina financeira da empresa. 

Em resumo, o plano de contas gerencial é mais simples e resumido.

Como criar um plano de contas gerencial?

Recomenda-se elaborar o plano de contas distribuído em três níveis, da seguinte maneira:

  • Grupo Sintético
    • Subgrupo Analítico
      • Detalhamento da Conta

Veja no exemplo:

Como o plano de contas gerencial facilita a tomada de decisão?

A implementação do plano de contas gerencial traz maior segurança para o crescimento do negócio, desde que ele esteja bem estruturado.

A tomada de decisões é facilitada pelo acompanhamento e categorização do financeiro da empresa. Outra vantagem será a melhoria do processo de alimentação e organização do fluxo de caixa.

Podemos citar como exemplo a análise das mercadorias vendidas por uma empresa. É possível identificar os produtos que apresentam custos elevados e pouca margem e que podem ser reformulados ou, simplesmente, retirados do portfólio da empresa.

Plano de Contas Contábil

Diferente do plano de contas gerencial, o plano de contas contábil  leva em consideração a legislação vigente, orientações regulatórias, normas técnicas, procedimentos e demais premissas publicadas pelos órgãos reguladores, conforme especifica o CPC R1 no que que refere à Contabilidade Societária:

O plano de contas gerencial tem como base as informações contábeis da empresa. Nele também é possível registrar informações não previstas pela Contabilidade Societária, mas que são fundamentais para a tomada de decisão ou melhor análise do negócio. 

Essa seria a principal diferença entre essas duas modalidades de contabilidade, tornando a Contabilidade Gerencial um demonstrativo com um enfoque especial, podendo ser mais analítico, com classificações diferenciadas, auxiliando os gestores na tomada de decisão.

Por que o plano de contas gerencial é divergente do plano de contas contábil?

Os dados do plano de contas gerencial devem ser fiéis às informações contábeis da empresa. No entanto, é muito comum nos depararmos com relatórios divergentes. 

As principais inconformidades gerenciais encontradas relacionam-se aos saldos de contas a receber e a pagar, estoques, financiamentos e empréstimos. As causas dessas inconformidades são várias, entre elas: processo interno desalinhado, problemas na gestão do estoque, falta de controle de caixa e conciliações financeiras.

Cabe ressaltar que mesmo com as particularidades destacadas anteriormente é possível alinhar os planos de contas contábil e gerencial para que caminhem paralelamente e com informações fidedignas. 

Além disso, é importante destacar que a Contabilidade Societária e Contabilidade Gerencial são fortemente dependentes entre si, visto que o objetivo da contabilidade gerencial é auxiliar o gestor na tomada de decisão, demonstrando as informações de forma mais analítica. 

Sem ferir a legislação societária, é possível aplicar alguns conceitos da Contabilidade Gerencial na Contabilidade Societária.

Um dos pontos divergentes entre as duas e que é possível espelhar seria um plano de contas mais analítico, principalmente nas contas de resultado (receitas e despesas), separando-as por departamento, trazendo assim, uma visão mais assertiva no demonstrativo societário. 

 

Fernando Scatolin, coordenador de processos empresariais e Victor Kuns, coordenador contábil e tributário na Funcional Consultoria.