< voltar para o Blog

Como o RH pode atuar para melhorar a jornada do colaborador

As empresas e os gestores mais estratégicos do mercado sabem que a produtividade de um colaborador está diretamente ligada à sua jornada. Por conta disso, o setor de Recursos Humanos conquistou, nos últimos anos, um posicionamento mais ativo dentro das organizações.

Com a chegada da pandemia de Covid-19, o que se tem visto é que as empresas que valorizavam esse trabalho e promoviam ações para aperfeiçoar a jornada do colaborador são as que estão lidando melhor com a crise agora. Essa ideia, aliás, vem do conceito de Experiência do Cliente (Employee Experience, na sigla em inglês), que também é resultado de uma série de mudanças em RH nas últimas décadas, sempre colocando em evidência a atuação das organizações para com seus colaboradores.

Independentemente desta situação, o mercado vive em constante evolução – e é fundamental promover mudanças dentro do ambiente corporativo, sendo que aqueles que se antecipam são também os que obtêm maior vantagem competitiva. O que o RH de hoje pode fazer para construir a melhor jornada para seus colaboradores?

Transformação Digital

Para que o setor de Recursos Humanos assuma esse posicionamento mais ativo e estratégico dentro das organizações, um passo fundamental é a Transformação Digital – ainda que feita de forma gradual. Assim, as tarefas manuais e burocráticas vão sendo realizadas cada vez mais por meio de ferramentas virtuais ou então por meio de prestadores de serviço especializados nessa função.

Com isso, os profissionais de RH têm mais tempo para se dedicar a tarefas voltadas à gestão de pessoas e de fato melhorar a jornada do colaborador e engajar as equipes para que as metas individuais e coletivas sejam alcançadas.

O resultado é maior produtividade e, consequentemente, aumento da receita da organização.

Porém, a crise do novo coronavírus e a necessidade imediata de colocar grandes contingentes de colaboradores trabalhando remotamente levou a uma aceleração da implementação tecnológica dentro das empresas, o oposto do que é feito usualmente.

Em uma pesquisa realizada pela LeapPulse em junho, 83% dos respondentes notaram um foco maior em medidas digitais por parte das instituições no período de isolamento.

Gestão de pessoas

A falta de comunicação interpessoal e de uma cultura de feedback são algumas das maiores dificuldades de gestão de pessoas. Essas características usualmente se perdem ao longo do processo de sucessão, pois quando um profissional de formação técnica e operacional assume um papel de gestor, a organização precisa fornecer capacitação para liderar pessoas – o que, parte das vezes, não ocorre.

Para aperfeiçoar a jornada do colaborador, o Recursos Humanos deve promover a cultura do feedback. Essa atitude é ainda mais importante durante o período de crise, já que a instabilidade do mercado gera medo e insegurança, o que pode levar a uma perda do foco e redução na produtividade.

Segundo Josiani Schnaider, psicóloga organizacional da Atitude Gestão de Pessoas, é comum que empresas busquem profissionais externos para promover melhorias focadas na motivação das equipes, mas de nada adianta esse investimento se os próprios gestores não realizarem ações simples no cotidiano. Para ela, “o próprio gestor tem, em seu poder, a vacina para a motivação das equipes, e a ele basta saber como aplicar”.

Quando o home office não é possível

Graças à tecnologia e às soluções digitais disponíveis no mercado, muitas empresas puderam continuar operando durante o isolamento sem comprometer a saúde e bem-estar de seus colaboradores.

Porém, o home office não é uma possibilidade para todos: muitos continuam saindo de casa diariamente, ainda que para isso tenham que enfrentar longos períodos longe de suas famílias e estar mais expostos aos perigos do vírus.

Esses grupos demandam uma atenção extra, que precisa promover estratégias de auxílio emocional e de proteção à saúde, pois esses profissionais também têm medos, angústias e dúvidas e precisam saber como agir em situações de risco.

Portanto, mais do que desenvolver protocolos e ensinar como se proteger, é preciso disponibilizar uma linha de contato imediato com a empresa – para qualquer dia e horário.

Cuidar daqueles que correm riscos e se expõem em nome da organização é mais que uma obrigação, é uma forma mostrar que a empresa valoriza seu esforço e, consequentemente, melhorar a jornada do colaborador.

Veja aqui o webinar sobre Gestão de RH em Empresas Transportadoras que organizamos no mês passado entre Fábio Carvalho, diretor da vertical trabalhista da Funcional Consultoria, e Josiani Schnaider, da Atitude Gestão de Pessoas: